Ensaiando

Acaso


47709_319471384834653_1694863567_n[2]

As vezes a gente pensa que está divagando, sonhando alto sozinhos e estamos fazendo uma oração. Sim, “Deus não joga dados com o universo”. (Albert Einstein) (1)

Eis que ainda hoje a questão da ação de Deus na humanidade é um mistério. Existem os que alegam silêncio, existem os que alegam ação. Existem os que alegam presença e os que alegam inexistência.

Bem… para quem crê e espera uma daquelas intervenções miraculosas narradas ao pé da letra no Primeiro Testamento, talvez se decepcione por alimentar esse tipo de visão. A exegese moderna não considera literais ao pé da letra, as narrações bíblicas dos portentos.

Penso que o “acaso”, a “sorte”, a “ocasião”, sejam – em muitos casos – termos para designar a atuante Providência Divina. Providência é assistência, não a “manipulação” das vontades e das ações. É o cuidado… o bem querer.

“Acaso” (teopoesia de Guto Santos)

Não andemos com demasiadas preocupações além da necessidade, nos perguntando “Que iremos comer? Ou, que iremos beber?… Vosso Pai celeste sabe que tendes necessidade de todas essas coisas. Buscai, em primeiro lugar, o Reino de Deus sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6,31-33).

“A criação tem sua bondade e sua perfeição próprias, mas não saiu completamente acabada das mãos do Criador. Ela é criada “em estado de caminhada” (“in statu viae”) para uma perfeição última a ser ainda atingida, para a qual Deus a destinou.

dados02 (1)

Chamamos de divina providência as disposições pelas quais Deus conduz sua criação para esta perfeição: Deus conserva e governa com sua providência tudo o que criou; ela se estende “com vigor de um extremo ao outro e governa o universo com suavidade” (Sb 8,1). Pois “tudo está nu e descoberto aos seus olhos” (Hb 4,13), mesmo os atos dependentes da ação livre das criaturas.

A Divina Providência são as disposições pelas quais Deus conduz com sabedoria e amor todas as criaturas até seu fim último.”  (CIC nº 302.321)

E compartilho com os leitores uma pequenina e caseira teopoesia que escrevi e declamo. A todos um Ano Novo de muita paz e fraternidade. Shalom!!!

 

cuida

 

________________________

(1) “God doesn’t play dice” – Albert Einstein, numa carta ao seu amigo Max Born (4 de dezembro de 1926), como citado em “Einstein and the Poet: In Search of the Cosmic Man” – página 58, William Hermanns, Albert Einstein, Branden Books, 1983, ISBN 0828318735, 9780828318730 – http://pt.wikiquote.org/wiki/Albert_Einstein

(2) “A divina Providência consiste nas disposições pelas quais Deus conduz, com sabedoria e amor; todas as criaturas, para o seu último fim” (CIC nº 321).  “Muitas vezes, porém, os caminhos da sua Providência são-nos desconhecidos” (1 Cor 13, 12; CIC nº 314).    “A Providência divina também age pela acção das criaturas. Aos seres humanos, Deus permite-lhes cooperar livremente com os seus desígnios” (CIC nº 323).

Fonte: http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/prima-pagina-cic_po.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às domingo, 30 dezembro, 2012 por em Teopoética, Teopoesia e marcado , , , , .

Meu perfil

Agendando

dezembro 2012
D S T Q Q S S
« out   jan »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Categorias

Ranking + votados

Estatísticas do Blog

  • 73,112 visitas
Atualizado 06/2015: Locations of visitors to this page

Principais postagens

%d blogueiros gostam disto: